Nota de Repúdio

A FCDL MS – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso do Sul repudia a forma violenta com que estão sendo tratados os empresários douradenses, neste período de pandemia, em que o prefeito Alan Guedes (Progressistas) decretou lockdown.

As prisões dos empresários, que estavam exercendo sua liberdade de manifestar publicamente a insatisfação e o sofrimento que têm vivido ao longo desses mais de 15 meses de pandemia, além de arbitrárias e ilegais, ainda demonstram a falta de sensibilidade com que o executivo municipal está tratando quem produz e gera empregos e renda na cidade.

O setor varejista de Dourados, bem como em todo o Mato Grosso Sul, não suporta mais pagar o alto preço das ações ineficazes no combate à Covid-19, ou seja, simplesmente fechar as portas do comércio, bares e restaurantes, que são ambientes que cumprem rigorosamente medidas sanitárias e de biossegurança, não resolve, ao contrário, gera um grave problema econômico e social, com desemprego, falência, atingindo até mesmo a saúde mental das pessoas.

A pandemia requer cuidados pessoais, requer protocolos de biossegurança e, principalmente, requer ações de fiscalização por parte do executivo municipal para coibir as aglomerações, as festas clandestinas que são grandes focos de contaminação da população.

A FCDL MS exige respeito aos direitos dos empresários e trabalhadores do varejo, que além de não conseguirem manter seu sustento, ainda têm sido discriminados e tratados com violência e truculência, sendo transformados publicamente em vilões, quando, na verdade, só querem garantir o sustento de suas famílias com o mínimo de dignidade.