Combate ao desemprego e vacina são apontados como prioridade para brasileiros, diz pesquisa CNDL/ Offer Wise

Consumidores brasileiros apontam o combate ao desemprego e a vacina contra coronavírus como prioridade para as ações do governo, para que o desenvolvimento econômico do país seja retomado em 2021. Pelo menos é o que mostra o levantamento realizado pela CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e SPC – pelo Serviço de Proteção ao Crédito, em parceria com a Offer Wise Pesquisas.

O levantamento apontou que 44% dos consumidores responderam que é o combate ao desemprego a prioridade e 42% indica a vacina para o coronavírus. Para estes entrevistados, a retomada econômico do Brasil, este ano, passa por estes dois itens.

Para os brasileiros, também merecem atenção à saúde pública, apontada por 38% e educação, 34%. Questionados quanto a maior expectativa de melhorias para o Brasil, 36% responderam que é em relação ao aumento das oportunidade de emprego e 35% disse que é o aumento da concessão de crédito.

Apesar de boas expectativas, 41% dos entrevistados espera um aumento da inflação. Dados este que superar em 20 pontos percentuais a estimativa de 2019. Os brasileiros também acredita que haverá aumento na inadimplência, além da pobreza e da desigualdade social.

Para a presidente da FCDL MS – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso do Sul, Inês Santiago, a retomada do crescimento econômico é uma urgência e precisa estar nas prioridades dos gestores públicos. “A economia tem sido punida grandemente em todos os municípios. O fechamento total do varejo e o toque de recolher fragilizaram uma economia que tentava superar crises anteriores. Hoje, mais do que nunca precisamos de medidas responsáveis que atendam quem está na linha de frente da economia, tentando manter vivo o comércio e gerando emprego e renda”.

Momento Atual

Com o cenário atual, 29% acreditam que a economia está retomando o crescimento, destes 24% aponta que de forma lenta e apenas 5% acha que está acelerada.

Já para metade dos entrevistados, 50%, a economia ainda não retomou o crescimento, sendo que 26% acreditam que isso irá acontecer em breve, e 24% que ainda vai demorar para acontecer. Por fim, 16% acreditam que a economia esteja piorando.

Fonte: CNDL

Imagem: Rede Brasil/ internet